Blog do Sadovski

Ben Affleck não vai mais dirigir The Batman. É o fim do Universo DC no cinema?

Roberto Sadovski

batman-f4fc5109-b885-4cb9-b585-23d9a32fecbe

Ben Affleck não vai mais dirigir The Batman. Não é nenhuma surpresa, visto que o projeto existia mais na cabeça dos fãs do que de fato num planejamento lógico para um estúdio. Mesmo com o desastre que foi Batman vs. Superman, a versão de Affleck para o Cavaleiro das Trevas foi um dos poucos elementos do filme que, apesar das balas e dos corpos empilhados, funcionou. Desde então, um filme do Morcegão com o astro no comando parecia um passo lógico. Mas os meses se arrastaram sem uma confirmação de seu trabalho atrás das câmeras, o roteiro parecia nunca estar no lugar e a Warner não tomava uma posição. Pois bem, agora ela está tomada. E isso é péssimo para o futuro do Universo DC no cinema.

Explico. os executivos da Warner DC devem ter cansado de ver a concorrência morder dinheiro e prestígio do outro lado da cerca, com filmes bem sucedidos com a crítica e com o público, e apressaram arquitetar seu próprio universno cinematográfico. O Homem de Aço deu o primeiro passo em 2013, seguido de Batman vs. Superman: A Origem da Justiça e de Esquadrão Suicida ano passado. Os três fizeram dinheiro, mas nada que os engravatados esperavam. Artisticamente, os dois últimos foram um tiro no pé, o maior exemplo de criação de blockbuster por comitê sem compromisso artístico, sem planejamento real. Mulher-Maravilha tabém enfrentou uma dose cavalar de problemas nos bastidores, com o roteiro sendo reescrito no set. Liga da Justiça, com seu trailer estranhos e a profusão de imagens nada empolgantes, não provoca um fiapo de empolgação como, só para ficar no exemplo mais óbvio, Os Vingadores.

jla

Liga da Justiça ainda parece um “filme de Zack Snyder”

The Batman, com Affleck no comando, parecia ser o marco zero perfeito para aprumar o navio. O ator recolocou sua carreira nos trilhos ao passar para o outro lado das câmeras com o drama Medo da Verdade (2007), e mostrou ter o equilíbrio perfeito de triunfo artístico e sucesso comercial com Atração Perigosa (2010) e Argo (2012). O novo A Lei da Noite, apesar do prejuízo de 75 milhões de dólares para os cofres da Warner, não foi o bastante para arranhar sua couraça. E Affleck parece, desde o começo, 100 por cento comprometido em faer a versão definitiva do Homem-Morcego nos cinemas, um equilíbrio bacana de realismo cinematográfico com o mundo de fantasia dos gibis. Mas estava mais e mais claro que o trabalho não seria fácil. Agora, ele oficialmente vagou a cadeira de diretor, dizendo ter mais liberdade para se dedicar à construçõ do personagem na frente das câmeras e de trabalhar com mais afinco o roteiro. Tá certo.

Não importa quem assuma The Batman no lugar de Affleck, o mal está feito. Falta de planejamento tem sido a marca registrada do Universo DC no cinema desde o primeiro momento. Mulher-Maravilha perdeu sua diretora original, Michelle MacLaren, pouco antes de as câmeras começarem a rodar (Patty Jenkins assumiu o leme). The Flash, que terá Ezra Miller como protagonista, já deixou escapar dois diretores, e seu roteiro vai voltar para a prancheta, sendo reescrito do zero. Aquaman, com Jason Momoa e James Wan na direção, parece o único projeto que anda sem percalços. Esquadrão Suicida deve render não um, mas dois spin offs: Sereias de Gotham e O Pistoleiro. Nenhum surgido por necessidade criativa, e sim para aproveitar os milhões de dólares e a atenção em cima do filme de David Ayer. The Batman, por sinal, jamais teve uma data de lançamento oficial.

Director/Screenwriter/Actor BEN AFFLECK on location during the filming of Warner Bros. Pictures' and Legendary Pictures' crime drama "The Town," distributed by Warner Bros. Pictures. Photo by Claire Folger

Essa é uma imagem de Ben Affleck que não veremos em The Batman

Comercialmente, a Warner não tem com o que se preocupar. Batman é sua maior propriedade intelectual, e provavelmente o super-herói mais conhecido do mundo. Depois da absurdamente bem sucedida trilogia conduzida por Christopher Nolan, e do destaque do personagem em BvS, é certo que um novo filme equivale a imprimir dinheiro. Affleck, por sua vez, entendeu o tamanho da encrenca que seria colocar tanto peso em seus ombros e foi esperto em minimizar o impacto em sua própria carreira. Criar um blockbuster de tamanha magnitude é comandar dúzias de engrenagens diferentes ao mesmo tempo, e se colocar em frente às câmeras amplifica a pressão. Warren Beatty sentiu o baque quando abraçou Dick Tracy de todas as maneiras em 1990, e viu o quanto seu filme sofreu artistica e comercialmente.

É óbvio que a Warner não tem planos em colocar um autor para trabalhar com Affleck – a escolha deve ser alguém bom para trabalhar em equipe, mas sem um currículo poderoso o bastante que o faça questionar demais o estúdio ou o astro. O Deadline aponta que Matt Reeves (que fez os dois últimos Planeta dos Macacos) e Matt Ross (do incrível Capitão Fantástico, com Viggo Mortensen) são alguns nomes que começam a compor uma lista de novos diretores. Mais importante que isso é o controle de danos, é provar aos fãs que, apesar da bagunça nos bastidores, existe o compromisso em não jogar um filme qualquer para fazer tilintar a registradora (um executivo da Warner chegou a dizer que a qualidade dos filmes pouco importa, já que todos foram grandes sucessos) e criar um grande filme capaz de ancorar um universo coeso e empolgante. Confesso que meu entusiasmo por The Batman despencou vários degraus, e que será necessário um anúncio espetacular para restaurar a fé no projeto. Minha confiança, por enquanto, está na teimosia de Ben Affleck em não embarcar num projeto capenga. E na certeza de que este não será mais um “filme de Zack Snyder”…

Sobre o autor

Roberto Sadovski é jornalista e crítico de cinema. Por mais de uma década, comandou a revista sobre cinema "SET". Colaborou com a revista inglesa "Empire", além das nacionais "Playboy", "GQ", "Monet", "VIP", "BillBoard", "Lola" e "Contigo". Também dirigiu a redação da revista "Sexy" e escreveu o eBook "Cem Filmes Para Ver e Rever... Sempre".

Sobre o blog

Cinema, entretenimento, cultura pop e bom humor dão o tom deste blog, que traz lançamentos, entrevistas e notícias sob um ponto de vista muito particular.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Roberto Sadovski
Topo