Topo
Blog do Sadovski

Blog do Sadovski

Muito além do cuecão: o futuro do Superman com a chegada de Brian Bendis

Roberto Sadovski

01/02/2018 16h07

Tudo vai mudar com o Superman. De novo! A chegada do roteirista Brian Michael Bendis à DC, anunciada meses atrás, já começa a dar frutos. E não só pela volta do cuecão vermelho por cima das calças do herói, mas sim pelo que isso representa. A série Renascimento, que a DC colocou em prática depois do fiasco catastrófico que foi Os Novos 52 indicou uma vontade de voltar ao básico, sem tirar os olhos do futuro. É inegável que o Homem de Aço é o personagem-símbolo da editora, e que o que acontece com ele tem impacto direto no resto de seu universo. A edição 1000 do título Action Comics, que deu origem ao herói oito décadas atrás, é o marco zero para as novas mudanças. E Bendis é o primeiro a compartilhar seu entusiasmo.

"Eu visitei Cleveland, cidade onde nasci, e vi uma exposição do Superman na biblioteca", conta em entrevista à Forbes. "Foi um sinal, já que os criadores do herói, Jerry Siegel e Joe Schuster (que nasceu no Canadá e naturalizou-se americano aos 10 anos), também eram de lá. Achei que era hora de abraçar essa mudança." Action Comics #1000 será, então, um marco zero, o ponto de partida para os planos de Bendis e da DC. Mas o escritor logo se apressa em esclarecer que não se trata de mais um reboot. "O trabalho que vinha sendo feito em Action Comics e também em Superman durante o Renascimento é brilhante", explica, entusiasmado. "Então o plano é seguir essas histórias e moldar o futuro do Homem de Aço a partir delas." Curiosamente, os planos lembram a liberdade que a DC deu a outro autor, John Byrne, que reformulou o Superman nos anos 80: assim como a estreia de Byrne, o primeiro título com a assinatura de Bendis será uma minissérie batizada Man of Steel.

"Serão seis edições semanais, cada uma desenhada por um dos melhores artistas que a DC possui", continua. "Meu plano é repercutir os eventos bombásticos de Action Comics 1000, apresentando novos aliados e novos vilões para o Superman, construindo seu mundo a partir daí." Em seguida, Brian Bendis assume o roteiro de ambos os títulos, com Superman relançado com uma nova edição número 1 em 11 de julho, e Action Comics com a edição 1001 em 25 do mesmo mês. O primeiro título terá mais foco em tramas com mais ação; já o segundo enfatiza a vida de Clark Kent, sua rotina no Planeta Diário e sua vida em Metrópolis. "Gotham City é uma das cidades fictícias mais bem estruturadas da ficção", ressalta. "Eu quero que Metrópolis imprima essa mesma sensação, de um lugar com arquitetura única, com uma população única, que seja reconhecível e que tenha personalidade."

Rascunho da capa de Men of Steel, com traço do brasileiro Ivan Reis

O momento não poderia ser melhor para a DC voltar seu olhar para seu personagem-símbolo. Além do aniversário da criação do herói, edições comemorativas carregam um peso extra e podem atingir um público maior. Bendis cita Superman #400 como um dos marcos para sua paixão pelo Homem de Aço. A edição, que data de outubro de 1984 (e foi publicada alguns anos depois no Brasil pela Editora Abril), trazia uma coleção notável de criadores, que deram sua visão do herói em histórias curtas e numa coleção de pin ups histórica. Seu legado é tão importante que Mark Millar, criador de Kick Ass e Kingsman, séries depois levadas ao cinema, também aponta a edição como ponto de partida para sua escolha ao escolher trabalhar como roteirista de quadrinhos. Action Comics #1000 terá essa mesma intenção, de reapresentar o herói tanto para os fãs quanto para o leitor casual. Além disso, todo o trabalho em Renascimento apontou para uma mudança drástica e de consequências duradouras. Colocar essa missão nas mãos de um artista de peso como Brian Bendis mostra que a DC está comprometida com o futuro de seus personagens.

Para Bendis, por sinal, assumir o Superman é apenas parte de seu trabalho com a DC. A casa nova lhe dará oportunidade para expandir seu próprio universo, Jinxworld, que abriga criações própria como a série Powers (que já virou série para a TV) e Jinx, além de abrir espaço para novas criações. O especial DC Nation #0, a ser lançado antes de Man of Steel, também terá uma história de Bendis, com arte do lendário José Luis García-López, que sai de uma semi-aposentadoria para trabalhar mais uma vez com o herói. "Tudo que estou produzindo terá repercussões no futuro do Homem de Aço e também do universo DC", continua Bendis. "Escrever o Superman hoje é uma experiência poderosa. É um mundo em que ouvimos várias vezes que ele luta por "verdade, justiça e o estilo de vida americano', certo? Mas essas palavras não estão tão claras como costumavam ser, e a gente precisa voltar a dar a elas o peso que as palavras merecem." Ele retoma o fôlego e conclui: "Acho que é o momento de o Superman nos dar a esperança que sempre esperamos dele. E é ótimo escrever um personagem que exala esperança num momento em que as pessoas precisam desse sentimento mais do que nunca".

Sobre o autor

Roberto Sadovski é jornalista e crítico de cinema. Por mais de uma década, comandou a revista sobre cinema "SET". Colaborou com a revista inglesa "Empire", além das nacionais "Playboy", "GQ", "Monet", "VIP", "BillBoard", "Lola" e "Contigo". Também dirigiu a redação da revista "Sexy" e escreveu o eBook "Cem Filmes Para Ver e Rever... Sempre".

Sobre o blog

Cinema, entretenimento, cultura pop e bom humor dão o tom deste blog, que traz lançamentos, entrevistas e notícias sob um ponto de vista muito particular.

Blog do Sadovski