Topo
Blog do Sadovski

Blog do Sadovski

Seria o misterioso 143 o filme que uniria as séries X-Men e.... Alien?

Roberto Sadovski

14/02/2018 17h53

O diretor de Deadpool, Tim Miller, está se unindo com o roteirista Brian Michael Bendis para um projeto dentro do universo dos mutantes da Marvel. O filme, desenvolvido com o título 143, seria a aventura-solo da mutante Kitty Pryde, um boato que circulou pela internet há alguns meses. A coisa agora toma forma, segundo o Deadline, com a Fox contratando Bendis para escrever o roteiro – o que já é uma surpresa, já que o roteirista, após quase duas décadas na Marvel, pulou a cerca e vai tocar as aventuras do Superman para a DC a partir do meio do ano. Já Miller deve se dedicar ao filme depois de filmar o reboot de Terminator sob as bênçãos de James Cameron. A essa altura, você deve estar se perguntando: "Que diabos a série Alien tem a ver com tudo isso?" Bom, vem comigo…

Embora o estúdio não tenha divulgado mais detalhes sobre o projeto, seu título de trabalho é uma bela pista. 143 pode se referir à edição 143 de Uncanny X-Men, publicada em 1981. O gibi, escrito por Chris Claremont e desenhado por John Byrne (em sua despedida do mundo dos mutantes), trouxe a primeira aventura de Kitty Pryde sem a supervisão dos outros X-Men. Sozinha na mansão de Charles Xavier durante o Natal, ela é obrigada a enfrentar um N'Garai, um demônio de outra dimensão que invade a Terra. A história é obviamente inspirada em Alien, com uma heroína solitária usando suas habilidades para vencer um monstro alienígena em um ambiente fechado. Até o design do N'Garai lembra o xenomorfo do filme de Ridley Scott, desenhado por H.R. Giger. Vale lembrar que Kitty Pryde, embora seja uma personagem de primeira linha nos quadrinhos, e favorita de muitos fãs dos heróis, nunca teve tanto peso nos filmes. Ela surgiu em uma ponta em X-Men de 2000 (interpretada por Sumela Kay), teve um tempinho maior em X2 (na pele de Katie Stuart) e ganhou mais musculatura em X-Men: O Confronto Final e, depois, em X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, defendida nas duas ocasiões por Ellen Page.

Ellen Page como Kitty Pryde em X-Men: O Confronto Final

A premissa é tênue para um filme de pouco menos de duas horas, mas seria a chance de a Fox anabolizar seu mundo de mutantes antes de a venda do estúdio para a Disney ser finalizada. Embora o negócio ainda precise ser aprovado pelo governo americano, e outras partes se mostrem interessadas (como a Comcast, que já é dona da Universal), a oportunidade de ampliar o escopo dos X-Men para além dos "filmes de super-heróis" parece muito boa para passar batida. Deadpool, com Tim Miller no comando, mostrou que era possível criar uma comédia que não tem o menor receio em tirar um sarro do conceito de aventureiros fantasiados superpoderosos – e se tornou um colosso de 780 milhões de dólares no processo. Logan ignorou os uniformes coloridos totalmente e entregou um drama melancólico inspirado, entre outros, pelo western Os Imperdoáveis. X-Men: Novos Mutantes, adiado para 2019 será um terror psicológico hardcore – promessa de seu diretor, Josh Boone, que deixou claro não se tratar de mais uma aventura de super-heróis. Por que não abraçar um filme de monstros neste universo?

Fatos são fatos. A Fox hoje ainda é dona dos X-Men no cinema, e também tem os direitos sobre Alien. O xenomorfo ainda é uma das criaturas mais reconhecíveis da história, e poderia muito bem ser introduzida no universo dos mutantes depois de X-Men: Fênix Negra, que estreia no fim do ano abraçando a saga mais conhecida da história dos personagens. Na história original, os mutantes deixam a Terra quando o poder cósmico da Fênix desperta em Jean Grey (Sophie Turner), podendo consumir toda a galáxia. Nas HQs os heróis terminam por deixar a Terra em uma aventura envolvendo raças de outros mundos e criaturas fantásticas, mas o diretor Simon Kinberg comentou que não queria um filme "tão intergaláctico", preferindo manter a trama menos dependente de seu escopo e mais na interação dos personagens. "Mas queremos ser ousados e radicais ao expandir o mundo dos X-Men", declarou pouco antes de começar as filmagens. Eu não consigo pensar em nada mais "ousado e radical" do que introduzir um xenomorfo na trama, trazendo novos fãs e deixando uma marca indelével antes de os mutantes se juntarem ao resto do Universo Cinematográfico Marvel.

Fala a verdade, é ou não é um xenomorfo de Alien?

Não que a Fox não tenha feito isso antes. Alien vs Predador colocou as criaturas do espaço frente a frente em um quebra-pau na Terra – que, dirigido por Paul W.S. Anderson, não deu muita liga. Ainda assim, crossovers entre grandes marcas da cultura pop não são novidade. A Universal cansou de colocar seus monstros dividindo o mesmo filme em sua Era de Ouro; Godzilla já saiu no braço com King Kong, um conflito que deve ter segundo round em breve. X-Men e Alien juntos é uma ideia tão absurda que poderia dar certo. Se Uncanny X-Men #143 for, de fato, a base sobre a qual Miller e Bendis vão construir a aventura-solo de Kitty Pryde no cinema, jogar um xenomorfo na mistura pode ser a cereja no topo do bolo. A gente pode sonhar!

Sobre o autor

Roberto Sadovski é jornalista e crítico de cinema. Por mais de uma década, comandou a revista sobre cinema "SET". Colaborou com a revista inglesa "Empire", além das nacionais "Playboy", "GQ", "Monet", "VIP", "BillBoard", "Lola" e "Contigo". Também dirigiu a redação da revista "Sexy" e escreveu o eBook "Cem Filmes Para Ver e Rever... Sempre".

Sobre o blog

Cinema, entretenimento, cultura pop e bom humor dão o tom deste blog, que traz lançamentos, entrevistas e notícias sob um ponto de vista muito particular.